SOS CANGUARETAMA

SOS CANGUARETAMA

sábado, 28 de fevereiro de 2015

TODO MUNDO TIRA ONDA COM O PT. TÁ SEM MORAL MESMO.


FHC posta foto ironizando declaraçã da presidente Dilma Rousseff

Ex-presidente fez brincadeira com a afirmação de Dilma de que seu governo não investigou corrupção na Petrobras, já existente à época

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) publicou, nesta sexta-feira (27), uma foto ironizando a declaração de Dilma Rousseff, que disse que se a corrupção na Petrobras tivesse sido investigada no governo tucano, não teria ocorrido nos anos posteriores. Na fotografia, FHC aparece segurando uma nota de R$ 2 e um papel escrito “Foi FHC”, em alusão ao Plano Real, lançado durante o governo Itamar Franco, quando FHC era ministro da Fazenda.
Dilma deu a declaração com base em depoimento de delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Pedro Barusco, que afirmou ter começado a receber propina em 1997, durante o governo tucanos. FHC reagiu em nota, em que diz: “Em vez de tentar encobrir suas responsabilidades, jogando-as sobre mim, que nada tenho a ver com o caso, ela deveria fazer um exame de consciência. Poderia começar reconhecendo que foi no mínimo descuidada ao aprovar a compra da refinaria de Pasadena e aguardar com maior serenidade que se apurem as acusações que pesam sobre o seu governo e de seu antecessor”.

Fonte: http://jornaldehoje.com.br/

A EDUCAÇÃO EM CANGUARETAMA VAI PARAR NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA! SERÁ?



TARIFAS DA COSERN TERÃO REAJUSTE. UM VERDADEIRO CHOQUE

Tarifas da Cosern terão reajuste extra de 2,8%
A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) foi autorizada pela Aneel a aplicar um reajuste extraordinário de 2,8% nas tarifas de energia elétrica a partir de segunda-feira. A medida faz parte da estratégia do governo de transferir para os consumidores os altos custos da produção de eletricidade em consequência dos baixos níveis dos reservatórios das principais hidrelétricas do País. Além da Cosern, outras 57 concessionárias receberam autorização para aplicar o reajuste, cuja média é de 23,4%.
A revisão extraordinária está prevista nos contratos de concessão das distribuidoras e permite que a Aneel revise as tarifas para manter o equilíbrio econômico e financeiro do contrato quando forem registradas alterações significativas nos custos da distribuidora, como está ocorrendo agora, em função da crise hídrica.
O consumo de energia está em alta no Rio Grande do Norte. No ano passado houve crescimento de 4,8% em relação a 2013. A classe residencial foi a que apresentou o maior percentual de crescimento, com um aumento de 7,1%, motivado pela elevação na renda da população, que favoreceu a compra e o maior uso de aparelhos de refrigeração nas residências para enfrentar as altas temperaturas. A Cosern encerrou o ano de 2014 com 1.303.616 clientes.
De acordo com a Aneel, os maiores reajustes serão para as distribuidoras AES Sul (39,5%), Bragantina (38,5%), Uhenpal (36,8%) e Copel (36,4%). Os mais baixos serão aplicados para as distribuidoras Celpe (2,2%) e Cosern (2,8%). A distribuidora CEA, do Amapá, não pediu a revisão tarifária. Já as empresas Amazonas Energia (AM), Boa Vista Energia e CERR (RR) não terão revisão tarifária porque não participam do rateio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e não estão no Sistema Interligado Nacional. A Ampla (RJ) também não passou pela revisão porque seu processo tarifário ocorre em 15 de março, quando todos os efeitos serão considerados.
Os impactos da revisão serão diferentes conforme a região da distribuidora. Para as concessionárias das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o impacto médio será de 28,7% e, para as distribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste, de 5,5%. A diferença ocorre principalmente por causa do orçamento da CDE e da compra de energia proveniente de Itaipu.

Também começam a valer na semana que vem os novos valores para as bandeiras tarifárias, que permitem a cobrança de um valor extra na conta de luz, de acordo com o custo de geração de energia. Além da revisão extraordinária, as distribuidoras passarão neste ano pelos reajustes anuais, que variam de acordo com a data de aniversário da concessão.
Segundo a Aneel, a revisão leva em consideração diversos fatores, como o orçamento da CDE deste ano, o aumento dos custos com a compra de energia da Usina de Itaipu - por causa da falta de chuvas -, o resultado do último leilão de ajuste – que aumentou a exposição das distribuidoras ao mercado livre – e o ingresso de novas cotas de energia hidrelétrica. “No ano passado e neste ano, o custo da energia elétrica tem sido realmente alto porque o regime hidrológico não está favorável, temos despachado todas as térmicas, que têm um custo mais alto”, explicou o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino.
REAJUSTE EXTRA
Aplicação a partir do dia 02 de março

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

OBRIGADO POR VOTAR EM MIM!!!

Governo aumenta tributo sobre desoneração da folha de pagamentos
O governo publicou uma medida que na prática reduz a desoneração da folha de pagamentos das empresas, adotada a partir de 2011 para reduzir os gastos com a mão de obra e estimular a economia. Quem pagava alíquota de 1% de contribuição previdenciária sobre a receita bruta passa agora para 2,5%. Quem tinha alíquota de 2% vai para 4,5%
A Medida Provisória 669 foi publicada nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União (veja a lista dos setores afetados ao final da reportagem). Essa é mais uma medida de aperto fiscal para reequilíbrio das contas públicas.
De alto custo fiscal, a renúncia foi de R$ 3,9 bilhões em 2012 a R$ 21,568 bilhões em 2014, de acordo com dados da Receita Federal. Para este ano, uma fonte do Ministério da Fazenda informou à agência Reuters que a desoneração geraria renúncia ao governo de cerca de R$ 25 bilhões, chamando a atenção para o alto peso fiscal do benefício.
Em janeiro, o governo central (Tesouro, Previdência Social e Banco Central) apresentou superávit primário de R$ 10,4 bilhões em janeiro,no pior resultado para esses meses em seis anos, numa largada ruim para o ano.
A desoneração que começou a ser aplicada em 2011 substituiu a folha de salários como base para a contribuição previdenciária.
Em 2014, ano eleitoral, a presidente Dilma Rousseff tornou o benefício permanente, autorizando a ampliação dos segmentos beneficiados, hoje em torno de 60%.
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tem defendido em diversas ocasiões a necessidade de um equilíbrio maior das contas públicas. Anteriormente, ele disse que medidas nesse sentido são indispensáveis para o crescimento do país.

Fonte: http://g1.globo.com/

UM GOVERNO DESCONTROLADO

Presidente Dilma expõe descontrole da crise com caminhoneiros
Presidente afirmou que o Executivo tem se esforçado para resolver o problema, mas não apresentou qualquer novidade sobre a paralisação
A presidente Dilma Rousseff se pronunciou nesta quinta-feira pela primeira vez sobre a greve dos caminhoneiros – e tornou mais evidente o descontrole do governo sobre a crise. Depois de participar da cerimônia de lançamento do programa Bem Mais Simples, no Palácio do Planalto, ela afirmou que o Executivo tem se esforçado para resolver o problema, mas não apresentou qualquer novidade sobre a paralisação, que dura mais de uma semana em algumas partes do Brasil.
“O governo está fazendo todo um esforço na questão da resolução da greve. Nós apresentamos, junto com várias lideranças e empresários que foram consultados e avaliados, um conjunto de propostas. Esse conjunto de propostas foi divulgado pelos órgãos de comunicação e a gente tem visto que elas têm tido uma recepção. Aguardamos. Os ministros responsáveis estão todos em atividade trabalhando essas propostas”, disse a presidente, na única resposta que deu sobre o tema.
Apesar do acordo anunciado na noite desta quarta-feira pelo governo e sindicatos de caminhoneiros, os bloqueios persistem em boa parte do país. O protesto não foi organizado por entidades sindicais. O principal porta-voz do movimento, o caminhoneiro Ivar Schmidt, se reuniu com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, mas rejeitou a oferta do governo – que não aceita reduzir, mesmo que temporariamente, o valor do diesel.
A expectativa é que as conversas continuem nesta quinta-feira.
A fala de Dilma se deu após o lançamento do Bem Mais Simples, programa que tem como objetivo agilizar os procedimentos para a criação de empresas. Por ora, a única mudança será a possibilidade de encerramento do CNPJ de forma imediata, por meio de um site criado pelo governo. Os eventuais débitos da companhia serão transferidos para o CPF dos proprietários. O objetivo do governo é que, em junho, seja possível criar uma empresa em cinco dias. Hoje, de acordo como próprio Executivo, o procedimento leva em média 102 dias.
Fonte: VEJA

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

PRA TRISTEZA DE MUITA GENTE


Juiz manda suspender Whatsapp no Brasil
Brasília (ABr) - O juiz Luiz Moura, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, determinou a suspensão do aplicativo Whatsapp em todo o território nacional, em mandado expedido no último dia 11. De acordo com nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do estado, a ordem foi expedida em virtude de descumprimento de decisões judiciais anteriores por parte do provedor de aplicação de internet Whatsapp.
A delegada Kátia Esteves, responsável pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) da Polícia Civil, e designada para chefiar as investigações, disse, em entrevista à imprensa, que é possível que o aplicativo seja retirado do ar. Durante a entrevista, a delegada não confirmou se a decisão está relacionada à exposição da imagem de crianças e adolescentes. De acordo com Kátia Esteves, como o processo corre em segredo de Justiça, ela não pode dar nenhuma informação adicional sobre o inquérito.
Segundo ela, “com o Marco Civil da Internet, basta a empresa estar oferecendo o serviço no Brasil, e está sendo oferecido o Whatsapp, e ter representante no país”, para que ele possa ser suspenso. “No caso, o representante no Brasil do Whatsapp, apesar de ser uma empresa americana, é o Facebook no Brasil”, ressaltou.

Fonte: Tribuna do Norte

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

O FIM DA PETROBRAS.

Petrobras é rebaixada e perde grau de investimento
São Paulo (AE) - A crise que a Petrobras vem atravessando nos últimos tempos levou a empresa a perder ontem o grau de investimento da agência de classificação de risco Moody’s. Isso significa que a agência já não considera a estatal uma boa pagadora de seus débitos, o que complica ainda mais a situação da companhia, que é a petroleira mais endividada do mundo. Sem o grau de investimento, o acesso a novos financiamentos fica mais difícil e a empresa pode ter de pagar juros maiores que os que conseguia até agora.
A Moody’s rebaixou o rating de crédito corporativo da Petrobras em dois graus, de Baa3 para Ba2, além de cortar todas as outras notas. Segundo a agência, o rebaixamento reflete uma maior preocupação com as investigações de corrupção que vêm sendo feitas dentro da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, assim como pressões de liquidez que podem acontecer em razão do atraso na entrega do balanço auditado, que ainda não tem prazo determinado. A agência ainda acredita que a Petrobras terá dificuldade em reduzir significativamente sua elevada dívida.
“Os ratings da Petrobras permanecem em revisão para rebaixamento por causa da pressão sobre a liquidez que pode acontecer caso a empresa não consiga entregar o balanço em tempo. A empresa precisa fornecer o balanço anual auditado até 30 de abril de 2015. Maiores atrasos trazem o risco de que os credores possam tomar ações que resultem na declaração de um default técnico”, diz o comunicado da Moody’s.
Embora a estatal deva gerar mais caixa este ano do que em 2014, a agência de rating acredita que isso não deve ser suficiente para cobrir todas as suas despesas, resultando em mais um ano de geração de caixa negativo. “Caso a empresa consiga resolver seus problemas de liquidez no curto prazo, os ratings podem ser elevados”, diz a Moody’s. Ainda assim, provavelmente a empresa não voltaria ao grau de investimento, “porque deve continuar a enfrentar tensões relacionadas às investigações de corrupção e seu alto nível de endividamento”.
Em comunicado divulgado ontem, a Petrobras ressalta que "não possui covenants (obrigação de fazer) relacionados ao rebaixamento de rating por parte das agências classificadoras de risco ou relacionados a rating abaixo da classificação 'grau de investimento'". Hoje, os ministros da equipe econômica devem se reunir com a presidente Dilma para avaliar a perda do grau de investimento da Petrobras e definir uma estratégia de trabalho.

Fonte: Tribuna do Norte

SÓ TEM SANTO!!!

Procuradoria-geral da República já teria a gravação de chantagem feita por JA
A palavra de três dos réus da Sinal Fechado e mais documentos de movimentações bancárias feitas por George Olímpio não são as únicas provas enviadas a Procuradoria-Geral da República, contra o senador José Agripino, presidente nacional do DEM, por suposto envolvimento no esquema denunciado na Operação Sinal Fechado. Há informações de que George Olímpio teria também gravado o diálogo feito com o parlamentar no dia em que ele cobrava a propina de R$ 1 milhão para manter a inspeção veicular.
O áudio enviado para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, confirmaria o conteúdo do depoimento prestado por George Olímpio após assinar a delação premiada com o Ministério Público do RN. Ou seja: confirmaria que José Agripino cobrou R$ 1 milhão em doações para a campanha dele, em 2010, quando foi reeleito senador da República.
O Ministério Público do RN – que reuniu os elementos (depoimento e documentos) contra José Agripino e os enviou para a Procuradoria-Geral da República, órgão responsável por investigar senadores, detentores de foro privilegiado – não confirmou a existência desse áudio. Essa nova prova teria sido enviada diretamente para a PGR, pelo réu, sem passar pelo MPRN.
Em depoimento divulgado nesta semana pelo MPRN, George Olímpio conta que foi procurado pelo ex-suplente de Agripino, João Faustino (que faleceu em 2014), entre o final de agosto e o início de setembro de 2010. Faustino teria marcado mostrado pesquisas que davam a vantagem a candidata do DEM, Rosalba Ciarlini, e sugerido que George agendasse uma reunião com Agripino.
“Conversamos amenidades e tal e quando ele me apresenta a pesquisa eu já caí na real que ali representa alguma coisa”, afirmou George Olímpio no depoimento prestado ao MPRN, antecipando que sabia que a procura de João Faustino representava o início da negociação para doação de campanha.
Apesar de boa parte do depoimento de George Olímpio confirmar a delação premiada de outro réu, Alcides Barbosa, e, consequentemente, também de Gilmar da Montana, eles diferem em alguns momentos. “Aquele negocio que Alcides falou de festa, de coquetel, aquilo ali não existiu. Coquetel para tratar de propina, não existe. O que existe é o que estou dizendo”, afirmou George.
Delator fez empréstimo para pagar propina a Agripino
De acordo com George Olímpio, Agripino cobrou R$ 1 milhão para ele, porque o valor seria o mesmo doado para a campanha de Iberê Ferreira. “Eu disse: ‘olhe, posso participar da campanha do senhor, mas estamos num momento de muito aperto. A condição que a gente vai ter melhor é a partir de 2011′. Aí ele: ‘E quanto é que você pode dar agora?’ Fiz uns cálculos rápidos. Aí ele: ‘Então me arrume R$ 500 mil’. Aí eu: ‘olhe, também não tenho condição de arrumar R$ 500 mil’. Aí eu disse ‘olhe, tenho condição de arrumar já R$ 200 mil para o senhor’, porque para mim aquilo foi um aviso muito claro que, ou você participa, ou você perde a inspeção. Uma forma muito sutil, mas uma forma de chantagem”, relembrou.
O réu da Sinal Fechado afirmou que, em outra conversa com o senador, conseguiu juntar R$ 300 mil para doar para ele e acertou que o restante, os R$ 700 mil cobrados por Agripino, seria garantido por meio de empréstimos (conforme sugestão do próprio senador) junto a Marcílio Carrilho, presidente municipal do DEM, e Ximbica, empresário e que na época era suplente de Agripino – seria substituído naquele ano por João Faustino.
Com Carrilho, George Olímpio conseguiu R$ 400 mil e, com Ximbica, R$ 300 mil. A dívida rendia juros de R$ 25 mil por mês e essa quantia era a única que George Olímpio contou que conseguia pagar até fevereiro de 2011 – depois, com o cancelamento da licitação da Inspeção Veicular, nem isso conseguiu.
A dívida foi então assumida por “ele”, José Agripino. “Eu só tinha como pagar com a inspeção rodando. Eu não tinha como pagar sem isso. Mas eu paguei os juros e os R$ 300 mil. Foram R$ 450 mil mais o nome emprestado para esse dinheiro ir para ele”, relembrou George Olímpio.
Áudio de João Faustino confirma propina para Agripino
Um “direito certo”, mas que precisava do apoio do senador José Agripino para ser validado. Era assim que o réu George Olímpio via a inspeção veicular no Rio Grande do Norte ou, pelo menos, foi isso que ele demonstrou em conversa gravada por ele com João Faustino, falecido no ano passado. A gravação, entregue pelo réu ao processo, foi liberada pelo Ministério Público do RN na tarde desta terça-feira, e reforça o depoimento de George prestado após a delação premiada. Reforça, também, os pagamentos feitos para a campanha do senador e da governadora do DEM, que, aparentemente, eram de conhecimento de outros envolvidos, como João Faustino e Carlos Augusto Rosado, marido de Rosalba Ciarlini.
Durante o dialogo, George Olímpio relembra a João Faustino o que foi doado para a campanha do senador e pede que Agripino interfira no entendimento do Executivo com relação à inspeção veicular. Segundo George Olímpio, Agripino deveria ligar para o então procurador-geral do Estado, Miguel Josino (falecido também no ano passado), e para a governadora Rosalba Ciarlini, e dizer para eles entenderem a lei aprovada na Assembleia Legislativa como “constitucional”.
Essa seria a “solução administrativa” proposta por George, consequência do receio dele de ser julgado pelo Tribunal de Justiça, mesmo tendo um “direto certo”. O réu, inclusive, ressalta o desejo de levar o caso para julgamento na Justiça Federal – o que acabou não se viabilizando e o processo seguiu no judiciário potiguar.
Relembra-se que essa é apenas uma das várias gravações feitas por George Olímpio e entregues ao MPRN após a assinatura da delação premiada, motivada, segundo ele, pela falta de apoio dos demais envolvidos e o “arrependimento” por sua conduta.
Miguel Josino, por sinal, seria o principal obstáculo para a mudança do entendimento dessa lei, por julgá-la inconstitucional. O posicionamento do jurista é exposto por João Faustino em narrativa sobre o encontro que ele teve com Carlos Augusto. “Ele lembra de tudo”, afirma Faustino para tranquilizar George Olímpio e dizer que o marido de Rosalba está ciente que foi ajudado durante a campanha pelo réu.
“(Lembra da) participação do consórcio na campanha e até uma participação mensal depois da campanha”, afirma João Faustino, frisando que Carlos Augusto até comentou: “Essa participação mensal, eu dispenso”.

Fonte: http://jornaldehoje.com.br/

Postagens antigas