CAMPANHA CONTRA O CÂNCER DE MAMA

CAMPANHA CONTRA O CÂNCER DE MAMA

terça-feira, 30 de setembro de 2014

ESTA CHEGANDO A HORA


Eleitores têm de ficar atentos a regras para celulares e tablets durante votação

Em tempos de selfie e redes sociais, o eleitor tem de ficar atento às regras da Justiça Eleitoral para o uso de celulares, smartphones e tablets no dia do pleito. De acordo com a assessoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), enquanto estiver votando, o eleitor deve deixar o aparelho em um móvel, próximo aos colaboradores responsáveis pela seção eleitoral. Os mesários e o presidente de mesa estão orientados a determinar que o eleitor deixe os equipamentos eletrônicos que portar com o mesário.
A legislação eleitoral proíbe o eleitor de “portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação, ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto”.
Ainda segundo a Justiça Eleitoral, o sigilo do voto também abrange ambientes virtuais e redes sociais, ou seja, é proibido publicar imagens ou fotos do voto e quem fizer isso pode sofrer sanções. Segundo o TSE, não haverá revista de eleitores, mas as pessoas que desrespeitarem a legislação estão sujeitas a até dois anos de detenção.
Para o pesquisador de ciência e tecnologia do departamento de sociologia da Universidade de Brasília (UnB) Marcello Barra, apesar do intenso ativismo de eleitores nas redes sociais, quem busca burlar a legislação presta um desserviço à nação. “A conquista do voto secreto é uma garantia da democracia. Qualquer meio que burle esse direito é um atentado à democracia”, resumiu.

Segundo ele, o caráter sigiloso impede que as pessoas fiquem vulneráveis ao assédio para mudança de voto. “A pessoa acha que está ajudando a militância, que está motivando outros a votar, mas, na verdade, ela está prejudicando o voto. O sigilo é uma garantia aos mais fracos”, completou.
Barra lembra que a popularização dos smartphones trouxe um incremento no número de pessoas que passaram a interagir na discussão política. Segundo o especialista, o uso da internet tem modificado a forma como as pessoas entendem e participam da vida política do país. “Eu venho acompanhando esse processo há muitos anos. Esses instrumentos estão se tornando cada vez mais importantes para a democracia. Cada um coloca a sua opinião de maneira direta, é cada vez mais democrático”, ponderou.
Segundo o TSE, caso os mesários flagrem algum eleitor fotografando o voto, a orientação é que o episódio seja registrado em ata, identificando o eleitor. Caberá ao juiz eleitoral comunicar o fato ao Ministério Público Eleitoral para instauração de inquérito.
Fonte: Tribuna do Norte

PESQUISAS INDICAM HENRIQUE


Ibope aponta Henrique com 38% e Robinson com 31%

A pesquisa Ibope/InterTV Cabugi, divulgada ontem, é a terceira realizada para estas eleições apontando Henrique Eduardo Alves (PMDB), deputado federal e presidente da Câmara dos Deputados, na liderança das intenções de votos para o Governo do Estado com 38%. A vantagem dele em relação ao segundo colocado, o vice-governador Robinson de Faria (PSD) que tem 31%, é de sete pontos percentuais. Em relação a pesquisa anterior, de 15 de setembro, os resultados mostram queda de dois pontos percentuais para Henrique Eduardo;  a permanência de Robinson no mesmo patamar das intenções de votos; alta de um ponto entre brancos e nulos (de 14% para 15%) e estabilidade do percentual de indecisos em 10%.
Entre os candidatos ao Governo do Estado, apenas Simone Dutra (PSTU) registrou alta na preferência dos eleitores, crescendo de 1% (em 15/09) para os 2% atuais. Robério Paulino (PSOL) manteve-se em 3% e Araken Farias (PSL) em 1%. A primeira pesquisa do instituto Ibope para a InterTV Cabugi foi divulgada no dia 28 de agosto. Henrique Eduardo tinha 40% das intenções de votos para o Governo, mesmo percentual registrado em 15 de setembro. Robinson tinha 28% no final de agosto e cresceu três pontos, chegando aos 31% das intenções de votos na primeira quinzena de setembro (veja a evolução de todos os candidatos no infográfico). 

A diferença atual entre o candidato que lidera as preferências do eleitorado potiguar e a soma de todos os concorrentes é de um ponto percentual. Levando em consideração a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, o Ibope simulou um possível segundo turno, registrando um empate entre Henrique Eduardo e Robinson Faria, ambos com 40%. Brancos e nulos somariam, no segundo turno, 5%e não sabe 15%.
Independente da intenção de voto de cada entrevistado, o Ibope quis saber  de cada um quem será o próximo governador do Rio Grande do Norte. A crença na vitória de Henrique é compartilhada por 52% dos entrevistados. Outros 27% acham que o eleito será Robinson; 1% acha que será o professor Robério e outro 1% considera que a eleita será a candidata do PSTU, Simone Dutra.

Empate no Senado
Na disputa para a vaga no Senado o Ibope/InterTV Cabugi traz um quadro diferente de 15 de setembro, com a reação da vice prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), diante da tendência de crescimento que vinha sendo registrada pela deputada federal Fátima Bezerra (PT). Na amostra anterior, Fátima tinha 38% e seis pontos percentuais de vantagem, mas agora caiu para 35%. A vice prefeita de Natal, que havia perdido três pontos percentuais – tinha 35% em agosto  e estava com 32% em 15/09 - reconquistou os pontos perdidos e voltou a ter 35%. Na pesquisa de 28/08, a disputa entre as duas era de “empate técnico”, com 34% para a deputada petista. Brancos e nulos para o Senado somam 13%, índice que vem se mantendo desde agosto. Os indecisos somam 14%, contra 12% na pesquisa anterior e 9% em 15 de setembro. Ana Célia (PSTU), Roberto Ronconi (PSL) e Prof. Lailson (PSOL) pontuaram nos mesmos 1%.
Para a Presidência da República, o Ibope mostra que o eleitor potiguar mantem a liderança da presidenta Dilma Rousseff (PT), com  51% das intenções de votos, mesmo percentual de 15/09 (era 46% no dia 28/08). Também não houve mudanças nas intenções de voto de Marina Silva (PSB), que permanece com 22%. Aécio Neves (PSDB) é que registrou crescimento, voltando a ter os 9% que tinha em agosto (em 15/09 havia caido para 6%). A diferença da presidenta Dilma para Marina é de 29 pontos percentuais, com uma vantagem de 18 pontos sobre a soma de todos os outros candidatos. Pastor Everaldo tem 1%. Brancos e nulos para presidente somam 8% e não sabem 8%.

Rejeição
Na pergunta sobre em quem os entrevistados não votariam de forma nenhuma, os resultados foram: Henrique Eduardo, 37%; Robinson Faria 27%; Araken Farias, 25%; Simone Dutra, 21% e Robério Paulino, 16%. Nesta questão, o Ibope permitiu que o entrevistado pudesse citar mais de um candidato. 7% dos entrevistados não rejeitam nenhum dos candidatos e disseram que poderiam votar em todos. 
Ainda sobre rejeição, a pesquisa mostrou que o governo Rosalba Ciarlini é avaliado de forma negativa por 69% dos entrevistados. Outros 17% dizem considerar a gestão de Rosalba “regular”; 10% consideram “bom” ou “ótimo”. 4% não souberam responder. 

Dados técnicos
A pesquisa foi aplicada entre os dias 26 e 28 deste mês, ouvindo 812 eleitores em 40 municípios e registrada no TRE/RN sob o número RN/0036/2014. A margem de erros admitida é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiabilidade de 95%.

Fonte: Tribuna do Norte

É SÓ O COMEÇO.

MPF apresenta nova denúncia contra Micarla e outros 14 envolvido
O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) apresentou uma nova denúncia relativa às irregularidades descobertas pela Operação Assepsia, que investigou ilegalidades cometidas na contratação da Associação Marca pela Prefeitura do Natal, durante a gestão de Micarla de Souza. Na denúncia, a ex-prefeita e outros 14 envolvidos são apontados como responsáveis por crimes como fraude e dispensa indevida de licitação, além de falsidade ideológica.
O esquema desbaratado pela Operação Assepsia funcionou de meados de 2010 até 2012 e, além das fraudes em procedimentos licitatórios, foram registradas diversos outros crimes que resultaram em quatro outras denúncias já apresentadas pelo MPF à Justiça Federal.
A nova ação inclui entre os denunciados o marido da ex-prefeita, Miguel Weber; o ex-secretário de Saúde Thiago Trindade; o procurador do Município Alexandre Magno de Souza; e o empresário Tufi Soares Meres, citado como líder do “braço empresarial” do esquema.
A denúncia assinada pelo procurador da República Fernando Rocha descreve que as negociações entre o grupo ligado à Prefeitura e os envolvidos ligados a Tufi Meres tiveram início antes mesmo da contratação da Marca, selecionada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para administrar os ambulatórios médicos especializados (AMEs) de Nova Natal, Brasília Teimosa e Planalto, além da unidade de pronto-atendimento (UPA) de Pajuçara.
Os dois processos de escolha, tanto para administração dos AMEs quanto da UPA, apresentaram diversas irregularidades e foram direcionados para a seleção da Marca, que repassava recursos do poder público a vários envolvidos, através da subcontratação de empresas, e ainda preenchia vagas de trabalho nas unidades de saúde com indicados da ex-prefeita, de secretários e de políticos.

Terceirização 
Antes da seleção da Marca, a Prefeitura contratou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para elaborar um “trabalho técnico” que resultou na indicação de um modelo de gestão terceirizada de unidades de saúde. Leonardo Carap, coordenador encarregado pela FGV dos trabalhos desenvolvidos em Natal, tornou-se o principal elo entre Tufi Meres e o Município.
Carap chegava a enviar a Tufi Meres conteúdo de documentos e estudos de caráter confidencial. Ele foi, ainda, o responsável pela ida de Thiago Trindade, Alexandre Magno e Carlos Fernando Bacelar ao Rio de Janeiro, em agosto de 2010, quando os representantes da SMS conheceram de perto o trabalho da organização social e os demais integrantes do esquema, ligados ao grupo de Tufi Meres.
Leonardo Carap era remunerado por seus serviços de “intermediação de negócios” através de repasses da Salute Sociale (empresa do grupo de Tufi Meres) para suas contas e de sua empresa: Qualimed Planejamento. De maio a novembro de 2011 foram feitos repasses de R$ 321.099,43.
De acordo com o MPF, todo o trâmite do chamamento público que resultou na contratação da Marca foi definido por Micarla de Souza e Miguel Weber pelos menos dois meses antes da deflagração formal do processo e antecipadamente noticiado a servidores (Thiago Trindade, Alexandre Magno, Thobias Bruno e Carlos Bacelar) e particulares (Tufi Meres, Rosimar “Rose” Bravo, Antônio Carlos Júnior, Jonei Lunkes e Leonardo Carap).

Contratação - As negociações se concretizaram em outubro de 2010, com o processo de seleção de uma organização para gerenciar os AMEs. Os termos do edital, bem como a formação da comissão julgadora (composta por Carlos Fernando, Maria do Perpétuo e Elizama Batista) foram definidos por Alexandre Magno e Jonei Lunkes, este um “consultor” que trabalhava clandestinamente na SMS, sem vínculo formal, recebendo R$ 22 mil mensais através de subcontratação à Marca.
Em e-mail enviado ao ex-secretário e a Annie Azevedo, Carlos Bacelar e Rose Bravo, Alexandre Magno deixa claro o cronograma da seleção que irá “oficializar” a contratação da Marca. Em 3 de setembro, mais de um mês antes, ele já explica aos destinatários quais passos serão dados e detalha o procedimento, chegando a esclarecer que “O pessoal do RJ seguiu para visitar as unidades acima e deve retomar com relatório de custos”. No item “Outras providências”, o procurador é ainda mais específico quanto às tarefas a serem adotadas: “b. Qualificar a Marca”
A qualificação da Marca como organização social foi publicada em 14 de outubro de 2010. A ata da sessão que declarou a entidade vencedora da chamada foi publicada dia 22, cinco dias úteis depois. Para o MPF, o prazo reduzido só reforça o “jogo de cartas marcadas”. Maria do Perpétuo Socorro e a servidora Elizama Batista, membros da comissão julgadora ao lado de Carlos Fernando Bacelar, subscreverem a ata da sessão de 18 de outubro de 2010, que nunca aconteceu.
Cerca de uma mês após ganhar o contrato dos AMEs, a SMS lançou novo processo seletivo para entregar a uma OS a gestão da UPA de Pajuçara. O edital e o termo de referência , publicados em novembro de 2010, foram elaborados por Jonei, Alexandre e Thobias Gurgel. O Ipas “sagrou-se vencedor”, mas decidiu “por motivos de força maior” desistir do contrato, cedendo espaço à Marca.
“Não há como deixar de reconhecer que os agentes públicos encarregados da condução da seleção (…) e os representantes da Marca combinaram previamente o resultado do certame, inclusive ajustaram a desistência do primeiro licitante convocado”, ressalta a ação do MPF.
Em mensagens trocados por Tufi Meres com seu “braço direito” Rose Bravo, o empresário reconhece a necessidade de levar ao conhecimento do “marido”, forma pela qual se referia a Miguel Weber, a ocorrência de atrasos nos pagamentos à Marca. Na mensagem, ele afirma ser necessário Miguel saber que “as coisas não andam conforme combinado por lá” e que os dois “comandados (Francisco de Assis Rocha Viana e Antônio Luna, então gestores financeiros da SMS e da Secretaria de Planejamento) estavam atrapalhando”.
A denúncia do MPF reforça que Micarla de Souza “ostentou efetiva participação em todas as etapas da cadeia delitiva”, incluindo a contratação da FGV; a indicação de apadrinhados políticos para ocupar postos de trabalho nas unidades de saúde geridas pela Marca; até a negociação e definição de valores do contrato de gestão hospitalar.
Para o MPF, na primeira fase do esquema a participação de Micarla e Miguel Weber ocorreu de forma mais discreta, enquanto Thiago Trindade e Alexandre Magno deliberavam na “linha de frente” com os representantes do grupo chefiado por Tufi Meres. Porém, após a exoneração do secretário, em 2011, o casal assumiu “as rédeas do negócio” e convocou Francisco de Assis Viana e Antônio Carlos Luna para auxiliarem na continuidade do esquema instalado na SMS.
Em uma troca de e-mais com Miguel Weber, que sequer pertencia aos quadros da Prefeitura, Tufi Meres envia a ele uma lista de pessoas contratadas nas unidades administradas pela Marca, com o registro dos respectivos “padrinhos” (políticos e secretários municipais em sua maioria) e a listagem das vagas ainda abertas.
Miguel Weber explica que “gostaria que pudessemos participar desse processo”, referindo-se a contratações e demissões nas unidades, e acrescenta: “Inclusive eu preciso de mais uma vaga de enfermeira e dentista”. Já em mensagem a Rose Bravo, Tufi Meres afirma sobre Miguel Weber: “Estamos lidando com um crápula”.
As investigações apontaram que todas as negociações envolvendo a contratação e os pagamentos da Marca passaram pelo crivo do casal Micarla e Miguel Weber. O marido da ex-prefeita, em troca de mensagens, chega a indicar valores e percentuais de ajuste dos contratos.
Além de tornar-se elo entre integrantes do esquema, Alexandre Magno elaborou a lei permitindo a “qualificação de entidades sem fins lucrativos como organizações sociais” e “pavimentou caminhos e conferiu blindagem jurídica para que empresas privadas, utilizando-se da roupagem de organização social, firmassem contratos de gestão (…)e efetuassem desvio de verbas”.
O procurador do Município e Thiago Trindade indicaram Thobias Bruno Gurgel; Carlos Fernando Bacelar e Annie Azevedo Cunha para cargos de chefia da SMS, para poderem auxiliar na montagem e funcionamento do esquema. Eles deram suporte operacional, administrativo e gerencial. Do grupo de apoio a Tufi Meres, além de Rose Bravo estão incluídos Mônica Nardelli e Antônio Carlos Oliveira Júnior, o Maninho, esposo de Rose Bravo.
Além das penas referentes aos crimes específicos (ver lista abaixo), o MPF requer para todos os denunciados a inabilitação para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, pelo prazo de cinco anos. A ação penal tramita na Justiça Federal sob o número 0003238-80.2014.4.05.8400.

Detalhamento das denúncias

Dispensa indevida de licitação (art 89 da Lei 8.666), fraude ao caráter competitivo de procedimento licitatório (art 90 da Lei 8.666); e falsidade ideológica (art 299 do Código Penal)
Micarla Araújo de Souza Weber; Miguel Henrique Oliveira Weber; Thiago Barbosa Trindade; Alexandre Magno Alves de Souza; Thobias Bruno Tavares Gurgel; Carlos Fernando Pimentel Bacelar Viana; Annie Azevedo Cunha Lima; Tufi Soares Meres; Rosimar Gomes Bravo de Oliveira; Antônio Carlos de Oliveira Júnior, “Maninho”; Leonardo Justin Carap; e Jonei Anderson Lunkes.
Dispensa indevida de licitação e falsidade ideológica:
Mônica Simões Araújo e Nardelli.
Falsidade ideológica:
Maria do Perpétuo Socorro Lima Nogueira; e Elizama Batista da Costa.
*Com informações do MPF/RN.
Fonte: Tribuna do Norte

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

FALTA INGRESSOS PARA OS TORCEDORES, SOBRA PARA OS CAMBISTAS. VERGONHA

Polícia prende cambistas com ingressos para jogo América e Flamengo

A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira (25) quatro cambistas nas proximidades da Arena das Dunas, em Natal. O grupo estava comercializando ingressos para a partida entre América e Flamengo, que acontece na próxima quarta-feira (1º de outubro) e é válida pela Copa do Brasil. Os preços cobrados giravam em torno de R$ 150. para o setor destinado à torcida do clube carioca, que no têm preço original de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia).
Com o grupo foram apreendidos cerca de 30 entradas a partida da Copa do Brasil. Os suspeitos foram detidos na região da avenida Prudente de Morais.
Segundo o coronel Alarico Azevedo, subcomandante do policiamento da região metropolitana, o grupo foi encaminhado para a 5ª Delegacia de Polícia Civil, localizada no bairro de Cidade da Esperança. Os homens detidos devem foram autuados no artigo 41-F do Estatuto do Torcedor, que cita pena de um a dois anos de prisão e multa em caso de comercialização de ingressos de eventos esportivos por preços maiores do que os descritos no bilhete.

Os ingressos para a partida entre América e Flamengo começaram a ser vendidos há pouco mais de uma semana e esgotaram já nesta terça-feira (23). Cerca de 31 mil pessoas devem acompanhar o duelo na próxima quarta-feira na Arena das Dunas.

Fonte: Tribuna do Norte

POLÍCIA FEDERAL ABRE CONCURSO


Polícia Federal abre concurso para seleção de 600 novos agentes
Foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (26) o edital para preenchimento de 600 vagas de agentes da Polícia Federal. As inscrições vão de 6 a 26 de outubro e custam R$ 150. O salário é de R$ 7,514,33, com jornadas semanais de 40 horas.
Das 600 vagas em disputa, 30 delas são exclusivas às pessoas com necessidades especiais e 120 para candidatos negros. Podem concorrer ao posto, homens e mulheres graduados em curso de nível superior, dentre outras exigências expostas no documento de abertura.
Os interessados poderão se inscrever via internet, por meio do endereço eletrônico
www.cespe.unb.br, a partir das 10h do dia 6 de outubro de 2014 até 26 de outubro de 2014, observando o horário oficial de Brasília (DF). A taxa cobrada pela participação é de R$ 150,00.
As etapas do concurso incluem Provas Objetiva, Discursiva, Exame de Aptidão Física, Exame Médico, Avaliação Psicológica, Investigação Social e Curso de Formação Profissional, cujo resultado final será válido por 30 dias, prorrogável por igual período.
A previsão é que as provas sejam aplicadas no dia 21 de dezembro, em todas as capitais do Brasil.
Fonte: Tribuna do Norte

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

CAÇA AOS PIRATAS...

Polícia promete “tolerância zero” contra a pirataria
A Polícia Civil do Rio Grande do Norte realizou, somente neste ano, a apreensão de aproximadamente 95 mil produtos falsificados. Ontem (23), durante mais uma operação policial realizada no bairro do Alecrim, houve reação por parte de ambulantes. Inconformados, eles realizaram uma manifestação queimando pneus, papelão e bloquearam o trânsito nas principais vias do bairro por cerca de uma hora. Apesar da reação contrária, a polícia confirma que irá continuar com as apreensões e promete “tolerância zero” contra a pirataria. 
Nas primeiras horas da manhã de ontem, 50 homens da Polícia Civil, em operação conjunta com a Guarda Municipal,  efetuaram a apreensão do material pirata. A ação de repressão ao comércio ilícito de obras fonográficas e audiovisuais produzidas com violação de direitos autorais foi comandada pelo titular da Delegacia Especializada de Falsificações e Defraudações (DEFD), Júlio Costa, e conseguiu apreender cinco mil CDs e DVDs piratas. 
“Essa foi mais uma ação da polícia. Ao longo deste ano, conseguimos realizar a apreensão de aproximadamente 95 mil itens, entre CDs, DVDs, sandálias, bonés e outros objetos”, comentou. Durante a ação de ontem, houve reclamação por parte dos ambulantes, mas enquanto os policias estiveram no local, não houve confronto. Além dos objetos apreendidos, policiais prenderam três pessoas e apreenderam um adolescente. Todos foram liberados e os adultos vão responder processo por crime previsto no artigo 184 do Código Penal. Se condenados, podem pegar detenção de três meses a um ano ou multa. 
A operação de ontem ficou concentrada nas proximidades do “camelódromo”, na avenida Coronel Estevam. Quando os policiais deixaram o local, os comerciantes se revoltaram e protestaram no meio da rua. Inicialmente, um grupo de aproximadamente 70 pessoas bloqueou o cruzamento das avenidas Presidente Bandeira e Coronel Estevam. Os manifestantes gritaram palavras de ordem e usaram objetos para bloquear completamente a via, inclusive queimando pneus e outros objetos. Entre as palavras de ordem, alguns diziam que “sem trabalho, eu vou roubar”.
A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados. Os bombeiros apagaram o fogo e os policiais dispersaram o grupo, sem que fosse necessário o uso de força. Mesmo assim, com o tumulto criado, comerciantes fecharam as portas e encerram o expediente matinal mais cedo.

Quando parecia que a situação estava controlada, um grupo menor de manifestantes se deslocou até à praça Gentil Ferreira e, no cruzamento das avenidas Mário Negócio e Presidente Bandeira, atearam fogo em outros objetos. Nesse momento, o Batalhão de Choque da Polícia Militar estava no local e acompanhou a manifestação de perto. Dois homens – aparentando serem menores de idade – foram detidos por, supostamente, terem desacatado a polícia e incitado a violência.
Enquanto os policiais agiam, outros pessoas protestavam. “É um absurdo. Eu sou mãe, tenho dois filhos para criar e não venho para cá roubar. Eu trabalho. Mas agora me sinto um nada. Se eu fosse bandida, seria diferente”, disse a Natália dos Santos, 29 anos. Ela vende CDs e DVDs piratas, no Alecrim, há mais de um ano e, mesmo com a ação policial, disse que não vai abandonar o negócio. 
O trânsito e o comércio no Alecrim voltaram à normalidade por volta das 11h30. A promessa dos ambulantes era a de que, se a polícia continuar agindo, novas manifestações serão realizadas. Eles disseram que vão pedir apoio ao prefeito Carlos Eduardo.

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

ACADEMIA HIKARI CT NASCIMENTO FEZ BONITO EM BAIA FORMOSA


 Yuri, Mestre Ronaldo Furacão, Leto e Professor Adaniran
 Professor Adaniran e Yauri
 Fazendo parte da mesa organizadora Prof. Sérgio
Atletas participantes do evento
Organizador do evento Prof. Eudes Cachorrão

TUDO É POSSÍVEL.



Bíblia da conspiração: jornalista de renome nos EUA diz que CIA derrubou avião de Eduardo Campos

Vela a pena ler a lista de presidentes que, segundo a teoria da conspiração planetária de plantão 24 horas por dia,  foram assassinados pela CIA, a toda-poderosa agência de inteligência dos EUA.

A bíblia desse pessoal costuma ser a obra Confissões de um Assassino Econômico, do ex-agente da CIA John Perkins.

Perkins diz que Omar Torrijos, presidente do Panamá, foi assassinado  num acidente aéreo forjado em 1981. Perkins estabelece que  a CIA usou o “acidente aéreo” para matar também o ex-presidente do Equador, Jaime Roldós Aguilera, também em 1981.

Até nosso João Goulart, morto em dezembro de 1976, entrou na lista dos mortos da CIA.

A mais recente papagaiada vem de Wayne Madsen, jornalista norte-americano, que se vende como repórter investigativo, mas gosta mesmo é de emitir opiniões.

Wayne Madsen publicou esta semana em sua coluna no jornal online Strategic Culture Foundation, o texto em que denuncia  que a morte do candidato a presidente Eduardo Campos (PSB), em acidente de avião no dia 13 de agosto, teria resultado de uma trama da CIA.

O artigo é intitulado “All Factors Point to CIA Aerially Assassinating Brazilian Presidential Candidate” (“Todos os Fatores indicam que a CIA assassinou por via aérea candidato brasileiro à Presidência”). Madsen estabelece que uma derrota de Dilma Rousseff representaria uma vitória para os planos de Barack Obama de eliminar “presidentes progressistas” da América Latina.

Madsen sustenta que “é preciso considerar que o acidente de Eduardo Campos foi o primeiro com vítimas fatais em cerca de 20 anos da existência do avião Cessna 560XLS, modelo considerado “perfeitamente seguro”.

Madsen lança sombras até sobre equipe norte-americana que veio ao Brasil investigar a queda do avião. Diz que a National Transportation Safety Board é famosa na  “excelência em acobertar ações criminosas”.

Madsen é taxativo: Marina seria ligada a uma corrente chamada Terceira Via, da qual fazem parte Bill Clinton, Tony Blair e Fernando Henrique Cardoso, todos financiados por George Soros para assumir partidos ligados aos trabalhadores. Eduardo Campos também pertenceria ao grupo, mas não venceria a eleição.

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com

Postagens antigas